That Time I Got Reincarnated as a Slime Temporada 3 ‒ Episódio 61

©川上泰樹・伏瀬・講談社/転スラ製作委員会 ©柴・伏瀬・講談社/転スラ日記製作委員会

Olha. Todos nós fomos um pouco duros com esta temporada de Tensura devido à quantidade de tempo sentados em volta de uma mesa de diretoria ou outra. No entanto, acho importante ressaltar que há episódios bons e ruins de diretoria — e este é, felizmente, o primeiro. Nenhuma das cenas que temos neste episódio é sobre Rimuru ou seus bajuladores soprando fumaça em sua bunda. Em vez disso, são sobre outros personagens que não vemos há muito tempo (ou que não conhecemos direito) reagindo à situação atual.

De um lado, temos os anões. Neste ponto, eles, junto com o Reino de Blumund, são os aliados mais próximos e mais antigos de Tempest. No entanto, graças a Falmuth basicamente se tornar o estado fantoche de Tempest, eles agora estão quase completamente cercados — apenas uma pequena fatia de seu território se conecta com qualquer outro país (o Império Oriental). Simplificando, se eles querem contato e comércio com o resto do mundo — especialmente o Oeste ou o Sul — eles têm que passar pelo território controlado por Tempest.

Agora, isso não seria um grande problema se Tempest fosse o que costumava ser — uma pequena e sem importância cidade-estado cercada por uma floresta gigante e cheia de monstros. No entanto, com sua nova infraestrutura e rotas comerciais — sem mencionar o sucesso militar em várias guerras — é difícil ver Tempest como algo além de uma superpotência emergente. E então há o Elefante na sala, o próprio Rimuru.

Ele agora é um verdadeiro Lorde Demônio — reconhecido e aceito pelos outros lordes demônios. Enquanto antes eles poderiam ter decidido exterminá-lo se ele se tornasse ambicioso demais, agora eles não se importam com o que ele faz, desde que ele fique fora dos seus próprios negócios. E com Hinata derrotado por Rimuru e o Império Sagrado buscando um tratado de paz, quem…

Autor